sábado, 21 de julho de 2012

Ambientes V



Uma vulgar jarra de barro décopatchada com o papel certo, transformou-se num objecto de decoração inesperado. Mas não só... Revela-se no simbolismo que advém da sua  antiga função!
Entre mitos e lendas,  nas diversas civilizações era dentro de jarras que se guardavam tesouros, alimentos, magias e a bebida da imortalidade.
Na foto, enquadrada junto ao espelho, num subtil jogo de luzes, completa um ambiente de encantatória harmonia.

segunda-feira, 16 de julho de 2012

Costas com costas!















Há três anos décopatchei o primeiro cabide-de-pé-alto, a que teimosamente chamo cabide manequim (ver post Embirrações de Estimação, 27/10/2009)  e  juro que nunca me passaria pelo estreito "remoçar" mais quatro! Pois é, tomei-lhe o gosto e a "imbirração" inicial desvaneceu-se como espuma na banheira... 
De um dos cabides nem foto tirei. Foi logo adjudicado numa exposição na Feira na Fábrica, por um simpático rapaz desesperadamente à procura  da prenda de última hora, para oferecer à mulher, aniversariante, que se encontrava em final de gravidez. 
Por desígnios do acaso, passou pela minha banca e bateu o olho no dito cabide que, pelas cores e padrão, era o complemento que faltava no quarto do casal. E assim lá foi, mais uma coisa útil de by fÚtil, alegrar 0 ninho de amor!

quarta-feira, 4 de julho de 2012

Entre azul e violeta


















A velha mesa pé-de-galo levou tratamento de choque! Primeiro foi toda coberta com papel de rosas azuis aplicado com a técnica décopatch. Nos relevos das pernas e do tampo foi usada a cor mais difícil de definir de entre o expectro que pode ir de violeta a roxo, ou mesmo púrpura. Em certas alturas dava jeito ser daltónica. Desculpem  lá o desabafo!  

Podem vê-la ao vivo na Santa.store - Rua Luis de Camões, 90, Alcântara, Lisboa, T. 929 251714
2ª a sábados das 10.00 às 20.00 

quarta-feira, 13 de junho de 2012

Mais kitsch é impossível...
























Dentro de uma moldura de papel maché, com 42 X 42 cm. by fÚtil conseguiu dispor (ou amontoar) uma série de pequenas coisas que foi coleccionando ao longo do gosto: um recorte de jornal, com a pin-up de olhos vendados; um pequeno espelho oval; o brinco de pérola verdadeiramente falsa; uma carta de tarot miniatura (a Papisa) e para cúmulo do requinte, uma miniatura do perfume Héritage, by Guerlain! 
O resto da composição envolve recortes de papel décopatch e pintura de fundo. Tudo isto devidamente realçado pela moldura de pele de leopardo. Em papel. 
Terá sido o efeito de um copinho de Poncha da Madeira (licor de mel, rhum e limão)?!

                                            VENDIDO                                      

sexta-feira, 1 de junho de 2012

Era uma casa...



Era uma casa muito engraçada
Não tinha teto, não tinha nada

Ninguém podia entrar nela, não
Porque na casa não tinha chão
Ninguém podia dormir na rede
Porque na casa não tinha parede
Ninguém podia fazer pipi
Porque penico não tinha ali
Mas era feita com muito esmero
Na rua dos bobos, número zero


Um dos primeiros trabalhos com décopatch, já lá vão quase três anos! Uma casinha de madeira sem muita história, que o poema de Vinícius de Moraes ilustra. Com a imaginação da criança que by fÚtil solta de vez em quando, a casa ficou assim... como podem ver na foto. A sua dona é a Julinha - uma criança de verdade!






terça-feira, 22 de maio de 2012

Flores, flores, flores...





O tempo passa, os meses correm, os dias escapam-se por entre outros afazeres, nem sempre prazeirosos.  Neste regresso em pleno mês de Maio, só podia trazer flores! Feitas de papel maché, décopatchadas e pintadas ao gosto de by fÚtil. Podem ser feitas ao gosto de quem as quiser encomendar, à unidade, ou  à dúzia, que a freguesa é quem manda. Não são cheirosas, mas alegram  qualquer muro de quintal  ou parapeito de janela. 
Uma flor fica bem em qualquer lado! 

Clique na foto para ver em grande

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Dias fÚteis

Em compasso de espera, a música e as palavras tomam formas imaginárias.

Related Posts with Thumbnails